Friday, 10 April 2009

Rush, Crazy and Lost

Depois de nos mudarmos as aulas começaram, nosso colégio é bem pequeno, cerca de 100 alunos +- 65 coreanos, 20 tailandeses, 5 brasileiros, 5 colombianos, 5 paquistaneses/indianos.

Os professores são em geral bons, nenhum fala portugues o que é excelente pra quem quer aprender, você precisa dar um jeito de falar inglês pra se comunicar.
Os níveis são os seguintes, Starter, Elementary, Pré-Intermediate, Intermediate, Upper-Intermediate.
A aula começa as 9 da manhã e vai até as 3 da tarde, mas se você tem um party-time job, pode ser às 2 para trabalhar.
O horário dos australianos é bem diferente, antes das 6 está todo mundo em pé.
As praias estão cheias de surfistas logo cedo, 6 horas.
O comércio aqui fecha as 4 ou 5 da tarde todos os dias, mas o horário normal de trabalho é “nine to four” como eles chamam e geralmente não se trabalha no sábado. Quintas os shoppings fecham as 9, é o único dia que fica até mais tarde, exceto os mercados que ficam até 00 abertos. Na sexta feira o expediente acaba às 2 da tarde e os bares, pubs, cafes ficam lotados 2.15.
O horário de balada é engraçado, a primeira vez que vi fiquei rindo das meninas todas arrumadas 7 horas no trem, mas aqui é normal, a balada começa antes das 9 e vai até 2. A grande maioria você não precisa pagar para entrar, e pode ir de uma para outra quando bem entender, algumas exigem roupa social.
As comidas e bebidas começam em um preço e vão subindo conforme o horário, por exemplo; $5 uma cerveja e $3 a pizza até as 9 da noite, depois param de servir pizza e a cerveja sobe pra $8. Nos spirits você não precisa pagar a mistura, exceto energético.
Esse horário diferenciado acaba se tornando muito corrido para quem está estudando, sai da aula as 3 e 4 não tem mais nada aberto, você acaba deixando de almoçar as vezes pra poder visitar alguma coisa e ver os preços.
Aqui também é a cidade dos loucos, não precisa ter medo de ser assaltado, só fique esperto com os loucos.
Geralmente você encontra esses tipos no trem, onde começam a gritar, cantar, chingar…
Conversei com um na saída da station aqui do meu bairro, ele dizia que aquela station era uma merda porque não tinha elevador nem escada rolante, e eu bobão fui confirmar. Então ele me pediu o que eu fazia, disse a ele que era estudante, ele me disse que a profissão dele era ser louco; me perguntou de onde eu era, e eu disse que vinha do Brasil… O doidão me respondeu dizendo que os brasileiros colocavam veneno na comida do Coles. Vai entender?!
O Coles, apesar de não acompanhar a série Lost, eu sei de todos os detalhes pois minha família toda assiste e é aí que entra o Coles e Woolworths que são os dois grande supermercados daqui, e nos fazem pensar que realmente estamos na ilha de Lost.
Os produtos “Home Brand” como já é de se imaginar são mais barato dos de marca própria. Mas aqui eles são até 70% mais baratos e todos eles tem a mesma embalagem, branca com o simbolo do mercado, assim como o Project Dharma do Lost.
Reunimos em casa alguns produtos em questão de 5 minutos somente os que estavam por perto e tiramos uma foto.

O Coles tem produtos desde pão, açúcar, achocolatado, tomate, creme dental, absorvente, refrigerante, o.b, vassoura, sacola, lasagna, nhoc, pizza, sorvete, chips, batata frita e linha de eletro eletronicos.

Impressões de Sydney:

  • Tem muuuuuitos orientais
  • O dinheiro some muito rápido
  • As australianas são bonitas mesmo, mas não se preocupam muito com a aparência
  • Tem duas raças que são muuuuito fedidas
  • É muito bom viver aqui

1 comment:

Marcelo Lara said...

quem sao os fedidos?


indianos e paquistaneses????


aqui sao os marroquinos e os romenos que fedem...